Vídeo Aula – Tutorial para Criar Plugin para o WordPress

Preparamos uma sequência de vídeos ensinando como criar um plugin para o WordPress. A aula é prática e vai direto ao ponto, utilizando a documentação do WordPress como referência.

Aula 1 – Apresentação

A apresentação da vídeo aula e também o básico da estrutura que será mostrada no final do plugin.

Iremos estudar rapidamente como criar um plugin que transforme um shortcode em uma lista de posts relacionados.

Aula 2 – Programado os posts relacionados

Vamos descobrir como transformar o plugin simples, que construimos na aula 1, em algo dinâmico, retornando posts recém cadastrados no conteúdo do post.

Aula 3 – Compartilhando o plugin

Mostrando um pouco do funcionando de compartilhar o plugin, através de arquivo direto ou realizando a publicação no diretório oficial de plugins do WordPress.


Criando Plugin Completo para o WordPress

Quer avançar e aprender mais sobre toda a estrutura de um plugin para WordPress, recomendamos o curso totalmente online da MX Cursos.

→ Veja mais sobre o curso nesse link.

 

 

Nginx: 8 comandos básicos para conhecer e dominar a ferramenta

Se você está começando com as configurações de servidores, é preciso aprender um pouco sobre o fantástico Nginx. Alguns dos comandos mais básicos para instalar e dominar a ferramenta.

O servidor web é rápido, leve, e com inúmeras possibilidades de configuração para melhor performance.

Primeiro, você precisa aprender os conceitos básicos da instalação. Como a maioria dos servidores web é executado no Ubuntu/Debian e CentOS/RHEL, você pode aprender com os exemplos a seguir para essas distribuições populares do Linux.

Nginx: Logotipo
Nginx: Logotipo

Antes de mais nada, a maneira correta de pronunciar o servidor web é “engine X”. Simples assim, agora você pode conversar com os outros desenvolvedores falando de maneira correta.

Ler mais

Composer: Usando pacotes no PHP

Caso o Composer ainda seja novo para você, esse post vai mostrar o que é, como instalar e usar para começar seus estudos.

Ele é uma ferramenta para gerenciamento de dependências para o PHP que vem ganhando muito espaço entre o desenvolvedores e tornando indispensável.

Com poucos comandos é possível definir todos as bibliotecas necessárias para o seu projeto. Ele ficará responsável por baixar e gerenciar todos os pacotes e configurar seu arquivo de autoloader.

Composer: Pacotes em PHP

O conceito

O conceito é que ele permite que você declare as bibliotecas de seu projeto, e que assim ele irá assumir o gerenciamento (instalação/atualização)-los para você.

Com isso, a instalação e atualização de novas bibliotecas ficará muitoooo mais fácil. Com alguns comandos no terminal, no caso de Linux e OS x, você manterá o projeto atualizado com as dependências.

Para quem já tem experiência com Linux, irá lembrar muito os comandos de “apt-get” dos sistemas Debian/Ubuntu.

Instalando o Composer

Para iniciar, você precisa realizar o download do arquivo phar. Para quem não conhece o phar, ele é um empacotamento de aplicações, de forma que você não precisa ser preocupar com estrutura. Você pode simplesmente baixar e sair usando em qualquer sistema.

Podemos baixar de duas formas distintas: cURL ou próprio PHP.

Download do Composer via cURL

Execute o seguinte comando em seu terminal:

curl -sS https://getcomposer.org/installer | php

Download do Composer via PHP

Execute o seguinte comando em seu terminal:

php -r “readfile(‘https://getcomposer.org/installer’);” | php

Existem outras maneiras de fazer a instalação. Caso prefira, poderá consultar a documentação para verificar a instalação.

Para sair usando, é necessário entender como ele funciona. Deve ter notado diversos frameworks no mercado que ao realizar o download, já vem com o arquivo “composer.json”. Lembre-se, é possível usar em qualquer projeto, pois ele irá auxiliar no controle das dependências do projeto.

Definindo o uso global

Recomendo que você consulte a documentação para verificar como é o funcionamento global. No caso do OS x, necessário mover o composer.phar para o /usr/local/bin/composer.

mv composer.phar /usr/local/bin/composer

Após esse comando é só sair executando pelo terminar. É possível que em determinados projetos tenha problema de permissão, para isso, execute o comando usando o sudo.

Iniciando um projeto PHP com Composer

Depois da instalação feita, é hora de criamos o primeiro projeto. Para iniciar, vamos ao arquivo de configuração.

Lembre-se de criar uma pasta dentro de seu webserver, e nela criar o arquivo de configuração. Poderá usar o modelo abaixo:

{
 "name": "Dicas de PHP",
 "description": "Primeiro projeto via Composer",
 "authors": [
 {
 "name": "Fausto Schneider",
 "email": "[email protected]"
 }
 ],
 "require": {
 "php": ">=5.4.0"
 }
}

Acho que o próprio esqueleto é auto explicativo, mas segue abaixo detalhes do que você precisa preencher:

  • name: Nome do projeto (recomendável, mas não obrigatório);
  • description: Detalhamento do projeto (não obrigatório);
  • authors: Dê os créditos para quem contribuir com o projeto;
  • require: Informe quais são as necessidade do projeto. Nesse caso, obrigamos que seja necessário usar a versão 5.6 ou superior. Se a instalação falhar irá retornar um erro na hora da configuração do projeto;

Adicionando pacotes

Bem, a parte mais divertida é gerenciar os pacotes. Para saber o que adicionar ao seu pacote, poderá usar o Packagist, onde qualquer desenvolvedor pode inserir suas bibliotecas.

Para esse exemplo, vamos usar a biblioteca proem, para criação de rápido MVC. Veja abaixo nosso composer.json:

{
 "name": "Dicas de PHP",
 "description": "Primeiro projeto via Composer",
 "authors": [
 {
 "name": "Fausto Schneider",
 "email": "[email protected]"
 }
 ],
 "require": {
 "php": ">=5.4.0",
 "proem/proem" : "0.7.1"
 }
}

Executando o Composer

Agora, com nosso arquivo de configuração definido, é só executar o comando de instalação:

composer install

Ao verificar sua pasta novamente, notará que existem novos arquivos e pastas. Será criada uma pastar “vendor” e criado o arquivo “composer.lock” que é gerador após a instalação realizada com sucesso.

O último passo é criar um arquivo “index.php” e inserir o seu “autoload”. Veja nosso arquivo exemplo abaixo.

<?php

require 'vendor/autoload.php';

Se curtiu esse breve tutorial, deixe um comentário. Podemos fazer novo tutorial abordando mais detalhes.

short_open_tag no PHP, evitando erros

Olá Pessoas!

Como meu primeiro post aqui, quero falar sobre Short Tags!

Como todos devem saber as Short Tags estão em DEPRECATED no PHP 5.3.x.

A diretiva (short_open_tag) estão lá no php.ini, mas setadas como Off!

Caso precise trabalhar num projeto que utilize-as, há duas opções:

  1. Ativar a diretiva (short_open_tag=On), e reiniciar o apache. (Não recomendado, pois alguns servidores compartilhados: a) Já estão atualizando a versão do PHP; b) Nem todos os servidores tem a possibilidade de colocar um php.ini na raiz do site e pronto, tá rodando; c) Mesmo pedindo para ativarem, podem negar, pois como se trata de uma hospedagem compartilhada, não se sabe qual o impacto nos outros sites).
  2. Varrer arquivos do projeto pesquisando pelas short tags (<?) e substituindo pela tag padrão (<?php).

Para essa segunda opção deve ser feita a pesquisa utilizando a seguinte expressão regular <\?(?!php)(\s|\n|\t) e substituir por <?php.

Mas tome cuidado, tem também a shot tag para echo (<?=), cujo recomendo rodar antes, substituindo pelo padrão (<?php echo).

Outra dica que dou é não automatize a substituição, rode a pesquisa sem substituir e veja se realmente é necessário fazer a substituição!

Apostila de PHP

Está precisando de uma ajuda para iniciar no PHP?

Que tal consultar uma apostila de PHP? Neste post você pode baixar uma apostila criada pelo Prof. Cristiano Cachapuz e Lima.

Baixar apostila PHP.

Nessa apostila você irá encontrar diversos tópicos sobre PHP. Tipos de dados, Banco de dados, MySQL, estrutura de dados, configuração do PHP e mais.

Esperamos que te ajude!